trem-anima

 

270818ac

A “Aplicação de sensores de vibração de ruído nos trilhos para detecção de danos em rodas ferroviárias”, esse foi um dos artigos vencedores do 5° Prêmio Tecnologia & Desenvolvimento Metroferroviários ANPTrilhos-CBTU, produzido pelo empregado Francisco Lopes, lotado na Superintendência Regional de Belo Horizonte. A cerimônia aconteceu em São Paulo, no auditório da Universidade Paulista (UNIP), na última terça feira, dia 21.

Seu projeto, além do baixo custo, identifica de forma automática as rodas do trem que apresentam danos, racionalizando e aprimorando o processo de manutenção dos veículos.

“Para mim é uma grande honra estar aqui, primeiro em ter sido o finalista, e depois em sair vencedor. Tenho um grande orgulho de trabalhar na CBTU já há 33 anos, e esse projeto nós conseguimos basicamente com a disponibilidade dos colegas de trabalho e a vontade de resolvermos problemas”, afirma o vencedor da categoria 3 - Projetos de sistemas de transporte e seus 

O diretor de Planejamento, Expansão e Marketing da CBTU, Alcione Soares Menezes Filho, que participou da cerimônia de entrega dos prêmios, representando o diretor-presidente José Marques, parabenizou Francisco Lopes pelo artigo e reforçou o nível de qualificação do corpo técnico da Companhia:subsistemas; inovação tecnológica; aprimoramento de técnicas de implantação, operação e manutenção de sistemas de transporte, planejamento e concepção de sistemas de transporte, que recebeu um prêmio de R$ 5 mil.

“O Francisco merece todos os aplausos pelo trabalho feito, é um excelente profissional. O projeto dele é fantástico, de alto nível técnico, prático e confiável. Isso reforça a qualidade dos profissionais que estão na CBTU. E é por este motivo que nos dedicamos a este prêmio em parceria com a ANPTrilhos, incentivando trabalhos e pesquisas para o setor metroferroviário. Com quase 40 anos de ferrovia, me sinto gratificado de premiar esses profissionais que fazem a diferença, principalmente um dos nossos empregados”, destacou Menezes.

Vencedor na categoria 1 - Políticas públicas; planejamento urbano; financiamento (funding); gestão de empreendimentos de transporte; tarifas e custeio do serviço, Eduardo Gonçalves David, com o artigo técnico “Maglev Metropolitano - Cidades do Projeto Piloto”, sobre um trem de levitação magnética, disse que estuda os sistemas da CBTU: “Esse projeto reduz custos na implantação de metrôs, analisei ano passado as cinco cidades da Companhia e existe uma possibilidade muito grande. Pretendo apresentar um projeto em breve”, finaliza Eduardo.

Na categoria 2 - Sustentabilidade; meio ambiente; mobilidade sustentável; gestão; comunicação com o usuário e formação profissional - a vencedora foi Sheila Aldecoa Piai, juntamente com o co-autor Leandro Kojima, ambos funcionários do Metrô de São Paulo, com o trabalho “Compras Sustentáveis: O Papel do Estado como Impulsionador de Mudanças no Mercado”.

 Além do diretor de Planejamento, Expansão e Marketing da CBTU, realizaram a entrega do prêmio: o presidente da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), Joubert Flores; o presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô (AEAMESP), Pedro Machado; e o secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Clodoaldo Pelissioni.

O 5° Prêmio Tecnologia & Desenvolvimento Metroferroviários contou com 15 trabalhos finalistas, divididos em três categorias. Todos os indicados foram contemplados com troféus e certificados, e os vencedores, em cada uma das categorias, também receberam um prêmio de R$ 5 mil.